Menino que nasceu com apenas 2% do cérebro completa 6 anos e está aprendendo a andar

de Merelyn Cerqueira 0

Noah Wall, da Inglaterra, nasceu com apenas 2% de seu cérebro. Desafiando todas as expectativas médicas ao completar 6 anos, ele já desenvolveu quase que completamente o órgão. Hoje, ele aprendeu a falar, contar e agora está aprendendo a dar os primeiros passos, segundo informações do jornal Metro.

 

Os pais de Noah, Michelle e Rob, durante a gravidez foram instruídos a realizar um aborto porque, segundo os médicos, a criança tinha chance quase zero de sobrevivência ao nascer. Em uma entrevista recente ao programa Good Morning Britain, eles explicaram que Noah havia desenvolvido espinha bífida e hidrocefalia quando ainda estava no útero.

A família reunida no programa Good Morning Britain. Os pais esperam que Noah esteja caminhando em breve. Foto: Divulgação

Então, quando nasceu em março de 2012, os médicos colocaram um aviso de “não reanimar” em seu berço, sob alegações de que era tão severamente incapacitado que jamais poderia ver, ouvir, falar ou comer.

 

No entanto, os pais não desistiram do filho e dedicaram suas vidas ao desenvolvimento dele. Assim, quando completou três anos de vida, exames revelaram que seu cérebro havia crescido cerca de 80% e estava quase que completamente funcionando. Isso foi possível graças a inserção de uma passagem artificial feita cirurgicamente para que os líquidos da hidrocefalia pudessem sair, aliviando a pressão no crânio e cérebro.

Quando nasceu, Noah possuía apenas 2% do cérebro. Agora, o órgão já possui 80% do tamanho que deveria ter. Foto: Divulgação. 

No processo, ele aprendeu a falar e contar como qualquer outra criança. No entanto, sua família havia sido informada que por causa de problemas que desenvolveu na coluna, ficaria paralítico por toda a vida.

 

Mas, essa afirmação mudou ano passado, quando os pais ouviram falar sobre um “treinamento cerebral”, chamado Neuro Physics, que existia na Austrália. O tratamento contava com uma mistura de fisioterapia e exercícios cognitivos que ajudavam pessoas a recuperarem as sensações nas pernas. “Tudo tem a ver com a capacidade do cérebro de curar ou corrigir o sistema nervoso do corpo”, explicou Rob.

 

O problema, no entanto, era que Noah era jovem demais para fazer o tratamento e não tinha os níveis de concentração necessários. Mas, os fundadores do método, Ken e Nickie Ware, concordaram em encontrar a família e em poucos dias Noah começou a responder ao tratamento.

Noah ainda na maternidade, onde os médicos colocaram uma placa para não ressuscitá-lo. Foto: Divulgação.

Agora em casa, Noah precisa passar por um programa diário completo de exercícios e sua família está confiante de que um dia ele irá caminhar. Eles esperam agora ter condições para comprar os equipamentos de ginástica necessários que o ajudem a continuar os exercícios em casa.

Quando questionados pelos apresentadores do programa sobre o motivo de continuar com a gravidez e não ter abortado, Rob disse: “Acho que pessoas mais jovens podem se sentir mais pressionadas a aceitar esta escolha. Mesmo que o cérebro dele tenha sido severamente danificado e ele tivesse que ter crescido como deficiente mental, ele ainda teria este brilho nos olhos”, concluiu.

[ Fonte: Metro ]

[ Fotos: Reprodução / Metro ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!