Jornal Ciência

Conhecimento é tudo.

You are here Meio Ambiente Diversos Por que os mosquitos picam algumas pessoas e não outras?

Por que os mosquitos picam algumas pessoas e não outras?

Há pessoas que são atacadas por mosquitos só de fazer uma caminhada à tarde, enquanto outras podem andar através de uma nuvem desses insetos sem sofrer uma única picada.

Qual a diferença? Segundo os cientistas, muitas. Eles enumeraram várias razões pelas quais os mosquitos têm preferência por algumas pessoas e não por outras. Como eles são fontes de muitas infecções em várias partes do mundo, muitas pesquisas foram feitas para descobrir o porquê dos mosquitos preferirem algumas pessoas a outras.

Tudo começa com o tipo mais atraente para os insetos. Apesar de sua capacidade de farejar sangue a quilômetros de distância, eles localizam suas presas rastreando o dióxido de carbono que elas exalam. Pessoas grandes ou mulheres grávidas, por exalarem muito gás, acabam virando os alvos favoritos. Há outro motivo para os mosquitos preferirem as grávidas: sua pele é mais fina, permitindo uma picada mais fácil.

Assim como os “vampiros”, os mosquitos também consideram algumas pessoas como sendo o seu “tipo”. Tipos diferentes de sangue atraem ou repelem mosquitos. Se você já foi o alvo principal dos mosquitos em um grupo de amigos num acampamento, então você provavelmente é do grupo O. Cientistas japoneses chegaram a essa conclusão após exporem pessoas a grupos de mosquitos que tiveram as partes de seus corpos responsáveis pela picada e pela sucção do sangue removidas. Os insetos pousaram principalmente nas pessoas do grupo O, ignorando os grupos A e B.

Os mosquitos têm uma probóscide (apêndice alongado presente em muitos invertebrados e alguns vertebrados; no caso do mosquito, tem a função de sugar o sangue de suas presas) doce. Eles preferem pessoas com a pele rica em sacarídeos, carboidratos de sabor adocicado. Mas os sacarídeos provavelmente só exercem essa atração por alimentarem outros animais que atraem mosquitos.

As bactérias que vivem em nossas peles ajudam a criar o odor desagradável do nosso suor, e cientistas holandeses descobriram que uma abundância na proliferação de poucas espécies de bactérias atraem mosquitos justamente pelo tipo de odor que exalamos (indicativo da variedade de bactérias em nosso corpo), enquanto que muitos tipos diferentes na pele os repelem. Logo o ideal para quem quer ver os mosquitos bem longe é que a pele seja como uma ilha: população pequena de organismos, mas com grande diversidade.

Com base nas descobertas, alguns cientistas e empresas querem analisar e combinar os cheiros desses elementos para fabricar um repelente que seja eficaz em manter os mosquitos longe, mas o processo é lento, e os mosquitos são astutos.

Até lá, pessoas do grupo sanguíneo O talvez não queiram mais acampar ao ar livre.

>>>Espalhe esta matéria para seus amigos no facebook, twitter ou orkut!

Fonte: Io9 Foto: Reprodução / jyi.org

Mistério

Fashion

A busca da humanidade por extraterrestres.

O início dos mistérios ufológicos.

Especial

Fashion

Terrível caracol é o

animal mais venenoso

do mundo

Dossiê

Sport

Conheça o animal mais

resistente do mundo,

o Tardígrado!