IA pode ajudar casais a terem bebês, afirmam pesquisadores brasileiros

de Julia Moretto 0

inteligencia-artificial-gravidez

A inteligência artificial poderia em breve dar aos médicos uma ajuda na previsão de quais embriões resultarão em sucesso de FIV. Um sistema de IA foi “treinado” para reconhecer o que um bom embrião em uma série de imagens.

 

Especialistas da Universidade Estadual de São Paulo se juntaram à Boston Place Clinic em Londres para desenvolver a tecnologia em colaboração com Dr.ª Cristina Hickmann, assessora científica da British Fertility Society.

 

Eles acreditam que a técnica barata tenha o potencial de transformar os cuidados com os pacientes e ajudar as mulheres a conseguirem engravidar mais cedo. Desde o treinamento, a IA conseguiu reconhecer e quantificou 24 características de imagem de embriões que são invisíveis para o olho humano. Como o tamanho do embrião, a textura da imagem e as características biológicas, como o número e a homogeneidade das células.

Durante o estudo, que utilizou embriões de gado, 48 imagens foram avaliadas três vezes por embriologistas e pelo sistema IA. Os embriologistas não conseguiram concordar com suas descobertas nas três imagens, mas a IA levou a um acordo completo. Stuart Lavery, diretor da Boston Place Clinic, disse que a tecnologia não substituiria a análise dos cromossomos em detalhes, o que é considerado um fator importante para determinar quais embriões são “normais” ou “anormais“.

 

Ele disse: “Olhar para os cromossomos funciona, mas é caro e é invasivo para o embrião. O que estamos procurando aqui é algo que pode ser universal”, disse o especialista. “Em vez de um humano que olha milhares de imagens, na verdade, uma peça de software olha para eles”.

 

À medida que recebemos dados sobre quais embriões produzem um bebê, esses dados serão enviados de volta ao computador, e o computador aprenderá”, explicou Lavery. “Nós não pensamos que isso irá substituir o rastreio genético – pensamos que irá complementar esse tipo de triagem”.

Lavery acrescentou: “Este é um projeto inovador e emocionante, que combina a embriologia de ponta com novos avanços na modelagem de computadores, todos com o objetivo de selecionar o melhor embrião possível para dar a todos os nossos pacientes a melhor chance de ter um bebê”.

 

Embora seja necessário um trabalho adicional para otimizar a técnica, esperamos que um sistema esteja disponível em breve para uso em uma configuração clínica”, finaliza.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / Max Pixel ]