Há uma estranha nuvem branca sobrevoando Marte neste exato momento

de Merelyn Cerqueira 0

Pesquisadores detectaram uma misteriosa faixa de nuvem de 1.500 quilômetros sobre a região de Arsia Mons, em Marte, logo acima do topo de um vulcão.

 

Embora pareça se tratar de uma erupção iminente, o vulcão em questão está “morto”. Sendo assim, qual o mistério por trás da nuvem?

De acordo com informações da Science Alert, a imagem foi registrada pelo satélite Mars Express no dia 13 de setembro. Desde então, a nuvem permaneceu na região, mudando de acordo com o clima do planeta e crescendo o suficiente para que os telescópios localizados aqui na Terra pudessem identificá-la.

> Cientistas brasileiros reproduzem condições de Marte para testar microrganismos

Embora a nuvem pareça estar emergindo do cume do vulcão, pesquisadores da Agência Espacial Europeia (ESA) garantem que tudo não passa de uma ilusão de ótica. É importante considerar que Marte não experimenta uma erupção vulcânica há milhões de anos, logo, as chances de que Arsia Mons esteja à beira de despertar são basicamente nulas.

 

Entretanto, mesmo que a nuvem não seja de origem vulcânica, Arsia Mons ainda é o responsável pelo seu aparecimento. O fenômeno em questão é algo que os meteorologistas chamam de nuvem orográfica.

 

Elas são vistas em regiões de montanhas e se formam quando o ar mais denso perto da superfície flui para cima (em barlavento) e se expande, resfriando a uma temperatura que permite a condensação da umidade em partículas de gelo.

Nuvens sobre Arsia Mons são comuns durante a maior parte do ano, de modo que tendem a desaparecer nos meses anteriores ao solstício de inverno do Hemisfério Norte.

> Lago gigante de água líquida com 20 km de diâmetro é descoberto em Marte

Dadas as condições sazonais de Marte, nuvens de água gelada surgem enquanto o ar carregado de umidade explode na base do vulcão. O Mars Express capturou imagens semelhantes em 2009, 2012 e 2015. Portanto, encontrá-lo novamente em 2018 não é exatamente uma surpresa.

 

Contudo, o reaparecimento da nuvem fornece aos pesquisadores uma oportunidade de avaliar a densidade das partículas que pairam na atmosfera do planeta.

 

No início deste ano, Marte foi inundado por uma enorme tempestade de poeira que parece ter destruído o robô Opportunity. Logo, a nuvem poderia ajudar os pesquisadores a refinar modelos de como a poeira se comporta e se instala no planeta, ajudando no alcance de futuras missões de seres humanos que irão visitar e colonizar o planeta vermelho.

LEIA MAIS!

> Cientistas brasileiros reproduzem condições de Marte para testar microrganismos

> Lago gigante de água líquida com 20 km de diâmetro é descoberto em Marte

[ Science Alert ] [ Fotos: Reprodução / Science Alert ]

deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado

Você pode usar tags e atributos em HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!