Estrela paralímpica do nado reencontra mãe biológica após 20 anos

de Merelyn Cerqueira 0

jessica-long

Representando os EUA nos Jogos Paralímpicos de Londres em 2012, Jessica Long, 25 anos, impressionou o mundo inteiro quando conquistou cinco medalhas de ouro e duas de prata nadando nas categorias S8 e SB7. Embora tivesse alcançado o posto de nadadora com deficiência de maior sucesso, ela enfrentava algumas adversidades.

 

Nascida em um vilarejo russo próximo a Sibéria, Long foi diagnosticada com uma condição conhecida como Hemimelia Fibular, que basicamente impediu a formação completa de suas pernas. Porque nunca poderia andar, seus pais decidiram que não a criariam, e entregaram-na à adoção.

Os primeiros anos de sua vida foram passados em um orfanato de recursos escassos na Sibéria. Eventualmente, ela foi adotada por um casal norte americano, Beth e Steven Long, que viram seu perfil em um banco de dados internacional para adoção. Então, com apenas 13 meses ela viajou para sua nova casa nos EUA.

Quando completou um ano e seis meses, aprendeu a andar com a ajuda de próteses, a fim de dar início o que viria a ser uma brilhante carreira no esporte. Contudo, durante o processo de adoção, os pais foram informados que Jessica não tinha parentes vivos. No entanto, 19 anos depois, ela decidiu descobrir o que de fato havia acontecido com sua família.

 

Assumindo que seus pais biológicos estivessem mortos, ao entrar em contato com as autoridades russas ficou surpresa ao descobrir que eles estavam vivos e morando próximo a cidade de Bratsk.

A mãe biológica de Jessica conheceu a história da filha por meio de jornalistas. Decidida a reencontrá-la, escreveu-lhe uma carta propondo um encontro, que veio a acontecer em 2013. Embora tenha sabido que a mãe havia optado por não criá-la, ela não hesitou em viajar de Baltimore (EUA) até a Rússia para perdoar a pessoa que lhe deu a vida.

 

Esta viagem foi concebida por Deus. Sonhei com ele e estava preocupada como tudo isso iria acontecer”, disse Jessica. “Não a culpo por ter me abandonado. Sou imensamente grata a ela por ter me dado à vida”.

Obrigado por todo o amor e apoio. Recebi tantas mensagens maravilhosas e estou impressionada com a resposta positiva à minha história. Estou tão feliz que a NBC estava lá para capturar minha jornada até a Rússia. É uma viagem que eu nunca esquecerei. Esta foto diz tudo. Eu simplesmente a amo”, escreveu ela em post comovente no Facebook.

[ KPRU Daily / Facebook / Youtube ] [ Fotos: Reprodução / KPRU Daily ]