Estamos a um passo de uma internet barata e rápida vinda do espaço

de Julia Moretto 0

internet-espaco

Para muitos, internet ultrarrápida e sem atraso é um sonho.

 

O Facebook, o Google e até SpaceX exploraram a ideia, na esperança de vender o acesso à banda larga a um mercado em crescimento com enorme potencial – o mundo em desenvolvimento. Mas agora, um ex-funcionário da Google e amigo de Elon Musk se tornou o primeiro cientista a receber permissão para construir um serviço de internet via satélite que atinja os internautas dos EUA.

 

O projeto pode beneficiar os americanos em todo o país, fornecendo banda larga em qualquer lugar nos Estados Unidos, particularmente nas áreas rurais, onde pode ser difícil fornecer conexões de internet rápidas usando cabos tradicionais.

No coração da nova rede de Greg Wyler estão uma frota de 720 satélites, todos orbitando a terra a uma altitude de aproximadamente 1.200 quilômetros. Os primeiros satélites começariam no próximo ano e o serviço poderia estar disponível já em 2019.

 

Os serviços de internet por satélite estão disponíveis atualmente. Mas a tecnologia é lenta, cara e em grande parte fora de alcance para consumidores individuais. Para uma conexão com rapidez suficiente para suportar Netflix, os usuários podem gastar até US$ 200 por dia, número realista apenas para clientes corporativos ou, em alguns casos, trabalhadores que respondem a desastres naturais onde a conectividade é uma obrigação.

 

Em contrapartida, a próxima geração de serviços de Internet por satélite promete reduzir o atraso ao aproximar os satélites da terra. Esse processo faria com que os dados da internet gastassem menos tempo em trânsito – levando a uma experiência de Internet mais suave e rápida.

 

A OneWeb pode ter sido a primeira a solicitar a aprovação da FCC, mas não foi a última – e a agência espera iluminar mais projetos, disse o presidente Ajit Pai. “Esperamos que, nos futuros anos, os americanos possam usar essas redes quando estiverem no céu para traçar seu próprio destino“, disse ele.

Em 2007, a Wyler testou o conceito ao lançar uma rede de satélite similar destinada a clientes comerciais. Esse empreendimento, conhecido como O3b Networks, agora tem 12 satélites em órbita a cerca de 8 mil quilômetros de altura. A empresa se orgulha de que eles são capazes de fornecer velocidades de 1 Gbps – tão rápido quanto o Google Fiber – com menos atraso do que o que você veria com satélites normais.

 

Entretanto, a SpaceX tem planos ainda mais ambiciosos para 4.400 satélites em órbita terrestre baixa. Ela, juntamente com outras 10 entidades, apresentou planos para a FCC no ano passado para aprovação. A FCC disse que se essas empresas também recebem aprovação, o governo aplicará exatamente as mesmas expectativas para a OneWeb.

Este artigo foi originalmente publicado pelo The Washington Post

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução /Science Alert ]