Conheça a história de Maria Adelaida, que apesar de nunca ter sido canonizada é considerada uma santa muito querida pelos portugueses

de Merelyn Cerqueira 0

Maria Adelaide nasceu na cidade de Porto, em Portugal, em 1835. Ela cresceu em um internato local, de modo que na adolescência foi levada a um convento em uma cidade vizinha, em Vila Nova de Gaia. Uma vez lá, acabou contraindo tuberculose. Eventualmente, sua condição ficou tão grave que seus médicos lhe aconselharam a deixar o convento e voltar para Porto. Embora tenha obedecido, sua saúde piorou novamente. Logo, foi aconselhada a se mudar para uma região mais costeira, próxima a uma “abundância de pinheiros e eucaliptos”, segundo informações da Atlas Obscura.

 

Maria Adelaide se mudou para Arcozelo em maio de 1876, acompanhada de um médico e alguns amigos. O clima apropriado do local, juntamente com toda a ajuda e bondade que recebeu, fez com que sua saúde melhorasse significativamente, deixando-a capaz de retomar suas atividades diárias, que incluía cozinhar e costurar. Ela utilizava estes talentos para arrecadar dinheiro para os mais necessitados, e em seu tempo livre guiava as crianças em relação ao catecismo.

santa maria adelaide de arcozelo vila nova de gaia religiao catolica leonel de castro 01 05 09

Maria Adelaide morreu em 1885, quando um resfriado agravou sua já frágil condição de saúde. Ela foi enterrada no cemitério local, em Arcozelo, onde seu corpo e história permaneceram intactos pelos trinta anos seguintes. Em 1916, quando o terreno onde estava enterrada foi vendido, seu caixão foi retirado e aberto. Para a surpresa do coveiro, um corpo incorrupto, roupas intactas, e “um forte aroma de rosas” foi revelado.

 

Os responsáveis pela exumação então determinaram que o corpo deveria ser lavado com substâncias químicas e enterrado em uma sepultura comum. No entanto, seus planos não puderam ser mantidos em segredo, e o que surgiu foi uma série de pequenos conflitos entre as autoridades e os moradores locais. A briga eventualmente culminou com a invasão do cemitério pela população durante uma missa dominical. Logo, o caixão de Maria Adelaide e seu corpo foram trazidos de volta à superfície.

maria-adelaide_2

O corpo então foi lavado por um grupo de mulheres, vestido com roupas novas e guardado em uma urna, para que a população pudesse visitá-lo. As pessoas acreditavam que Maria Adelaida era uma santa, devido a sua bondade em vida e as condições de seu corpo. Assim, decidiram que ela deveria ter sua própria capela, que ficou pronta em 1921 e três anos depois foi substituída para uma maior.   

Em 1924, uma onda de violência tomou o local, mas nenhum dano foi causado ao corpo. Embora a capela tenha sofrido duas tentativas de assalto em 1930 e 1931, foi em 1981 que o verdadeiro assalto ocorreu, deixando consideráveis danos ao corpo de Maria Adelaide. Já em 1983, um homem invadiu a capela e tentou destruir a múmia a marteladas.

 

Mesmo com toda a história da mulher em vida e morte, a Igreja Católica recusou sua canonização. No entanto, a população deliberadamente a tomou como “santa”, e seu corpo segue sendo muito visitado pelos fiéis. Santa Maria Adelaide é tão querida que até já ganhou seu próprio museu, onde foram guardados cerca de 600 vestidos de batismo, comunhão e casamento, dinheiro de mais de vinte e cinco países, todos os tipos de cerâmica, joias, velas, relógios de pulso, camisas esportivas, algumas próteses e fios de cabelos cortados, e milhares de fotografias e notas de agradecimento. 

[ Atlas  ] [ Fotos: Reprodução / Atlas ]

deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado

Você pode usar tags e atributos em HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!