Cientistas afirmam ter descoberto elemento “misterioso” do núcleo da Terra

de Merelyn Cerqueira 0

nucleo-da-terra_01

É de conhecimento da Ciência que o núcleo da Terra é composto principalmente por cerca de 85% ferro e 10% níquel, enquanto que os remanescentes 5% permanecem desconhecidos.

 

No entanto, uma equipe de pesquisadores japoneses que há décadas se dedica a descobrir tal elemento disse tê-lo encontrado, conforme relatado pela BBC. Segundo eles, o 5% faltante é provavelmente composto por silício.

 

O núcleo da Terra, localizado a cerca de 3 mil quilômetros abaixo da superfície, possui um raio de 1.200 km. Uma vez que se encontra em tal profundidade, é praticamente impossível o examinar de forma direta para descobrirmos do que ele é realmente feito, conforme lembrado pela Science Alert. Considere, para efeitos de comparação, que a mina mais profunda do mundo possui apenas 4 km de extensão.

 

Uma vez que os pesquisadores já sabiam que o elemento misterioso deveria ser mais leve, o silício chegou a ser sugerido em muitas das ocasiões devido a suas propriedades, entre elas o fato de que se liga muito bem aos metais. Com isso em mente, a equipe da Universidade de Tohoku, ao invés de cavar, simplesmente criou em laboratório uma versão miniatura da crosta terrestre, juntamente com o núcleo e manto.

 

Primeiramente, foram feitas ligas de ferro e níquel, em seguida foram misturadas ao silício. Então, os pesquisadores submeteram a mistura a enormes pressões e temperaturas, semelhantes às existentes dentro do núcleo, de cerca de 6.000° C. Tais condições são correspondentes aos dados sísmicos colhidos sobre o núcleo da Terra, que basicamente informam as ondas sísmicas que são liberadas do centro do planeta. Isso deu aos pesquisadores evidências suficientes para afirmar que o silício tinha o potencial para ser o elemento desconhecido.

De acordo com o professor de Física Mineral, Simon Redfern, da Universidade de Cambridge, que não esteve envolvido no estudo, tais experimentos são difíceis – porém animadores – de serem realizados, “porque podem fornecer uma ideia de como o interior da Terra logo depois de ter sido formado, há 4.5 bilhões anos, quando o núcleo primeiramente começou a se separar das partes rochosas do Planeta”, disse ele em entrevista à BBC. “Mas, outros pesquisadores sugeriram mais recentemente que o oxigênio também pode ser importante para o núcleo”.

 

A ideia de que estamos próximos de entender qual a verdadeira composição da Terra é empolgante, uma vez que isso poderá auxiliar a desvendar um mistério ainda maior: as condições que ajudaram a formar nosso Planeta.

[ Science Alert ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]