“Cheiro de natureza” ajuda a prevenir estresse e câncer, diz estudo

de Julia Moretto 0

cheiro-de-mato

Pesquisadores da escola de medicina Nippon, em Tóquio, estudaram o efeito terapêutico das árvores. Essa nova vertente pode originar um novo tratamento alternativo à base de aromaterapia.

 

De acordo com os cientistas, a ideia é o que os cheiros provenientes da natureza, como de óleos essenciais das árvores, ajudem a diminuir a pressão do corpo humano, além de auxiliar as moléculas que combatem doenças como o câncer. Para analisar o efeito dos cheiros da floresta no corpo humano, os cientistas analisaram substâncias chamadas fitonetos – óleos essenciais de madeira – e as reações causadas na atividade das células denominadas Natural Killers (NK).

cheiro-de-mato_2

Os fitonetos aumentaram a atividade das células NK do sistema imunológico, deixando cada vez mais forte a capacidade de combater células invasoras, assim como de impedir a multiplicação de células cancerosas. De acordo com o estudo, quando os cheiros da floresta entram em contato com o nosso organismo, o nível de estresse e irritação diminuem de forma eficaz. Quando sentido por mais tempo, o aroma é capaz de reduzir a pressão arterial e melhorar a imunidade.

 

Esse resultado inspirou a criação do Finnish Forest Research Institute, um centro de referência que pesquisa os fins terapêuticos dos cheiros das árvores.  Apesar deste estudo não ter sido concluído, especialistas já puderam comprovar que fotografias de meio ambiente ajudam no relaxamento do cérebro da mesma forma que estar presente no local da foto.

[ Diário de Biologia ] [ Fotos: Reprodução / Diário de Biologia ]